BR116 – Uma história para contar aos netos

A BR-116, conhecida também como Régis Bitencourt, tem no total 4385 quilômetros e conta o Brasil desde a cidade de Fortaleza (CE) até a cidade de Jaguarão (RS) na divisa com o Uruguai.

Uma das maiores estradas do país

No ranking nacional ela aparece em quarto entre as mais perigosas, e os trechos entre Curitiba / São Paulo e São Paulo / Rio de Janeiro são onde acontecem boa parte dos acidentes mais graves, nos quais o número de mortos costuma ser alto.

Dia desses soube de um acidente nessa estrada, no km 510 sentido norte (saindo de Curitiba em direção a São Paulo) que me deixou inquieto. (PS: As fotos do post são reais, tiradas pela namorada do motorista no local do acidente)

Um Celta viajava tranquilamente quando em um trecho com obras, em que pista foi reduzida a apenas uma faixa, seu motorista avistou ao longe uma carreta que se aproximava bem mais rápido que ele.

Imagine o pavor.

A colisão foi inevitável, o giro, desesperador. No fim sobraram os restos de um Chevrolet no canto da estrada e a sombra de uma Scania desaparecendo na curva.

Olha o estado que o carro ficou

Hora de descer do carro, ver se está tudo bem com os ocupantes (o motorista e sua namorada) avaliar as condições do veículo, ligar pra mãe, avisar sobre a ocorrência, etc…

Perrengue 01.- Celulares com pouca bateria e quase 0 de sinal.

-Estamos numa serra, difícilmente teria sinal aqui, vou subir um pouco mais e tentar lá de cima. Pensou nosso bravo motorista. 150 metros acima o celular só veio a funcionar ao lado de uma velha coluna de metal. Ligou para o amigo, para a mãe da namorada e PUFT! as baterias arriaram.

Enquanto falava ao telefone ele avistou uma viatura da Polícia Rodoviária Federal, e respirou um pouco mais aliviado.

Não sobrou muito do carro…

Quando retornou ao local dos destroços, sentou-se na viatura e começou o preenchimento do Boletim de Ocorrência. Nisso o policial diz que a mesma carreta (uma Scania/R124 LA6X2NA 420 carregada de batatas com mais de 80 toneladas) havia se envolvido em outro acidente 500 metros depois.

Boletim de ocorrência preenchido, guincho preparando o carro (guincho da estrada, não do seguro, isso é importante salientar) e foram para o posto mais próximo (10 km) aguardar a chegada do guincho do seguro.

Horas de terror se seguiram a partir desse momento…

Os guincheiros da BR se utilizam em grande maioria de caminhões velhos que transportam os veículos levantando a parte dianteira ou traseira, e mantendo as outras rodas no chão. Está aí a raiz do problema, na batida, a suspenção dianteira foi destruída e a traseira ficou bem torta, assim a roda direita estava encostada na lata pelo lado de dentro, e assim que o guincho começou a remoção uma fumaça branca saiu da roda. Era o duto que leva combustível ao tanque sendo derretido pelo atrito com o pneu. Álcool começou a pingar e o risco de incêndio era grande.

-Pára essa porra! gritou a namorada, já desesperada com medo de incêncio ou explosão.

Suspensão traseira destruída

Perrengue 02.- Pneu derreteu o duto do tanque, era arriscado demais fazer a remoção até o posto sem parar.

Foram seguindo devagar, e 1 km depois pararam. Nesse momento começou a anoitecer, e quem conhece a região sabe que não há iluminação pública. Tentaram entortar a roda para o outro lado em vão, o eixo do celta é duro demais pra isso.

Tomaram coragem e foram, junto ao ajudante do guincheiro, a pé, atrás do carro, um com o extintor de incêndio na mão e o outro com o triângulo de sinalização para evitar uma nova tragédia. 1 km depois pararam de novo, agora na entrada de uma estrada de terra.

A esta altura já não se enchegava nada além dos pisca-alertas tanto do celta quanto do guincho.

E o desespero começou a tomar conta.

Não tente isso em casa

Celulares descarregados, o guincheiro começou uma tortura mental digna de Jigsaw em Jogos Mortais. Seu celular era o único com créditos, bateria e um resquício de sinal, e o mesmo se negava a ligar para o “patrão” pedindo que este mandasse um guincho de plataforma, alegando que isso era impossível.

Longos 90 minutos até a namorada ter um surto de raiva dizendo que iria embora daquele lugar esquecido por Deus a pé mesmo, no meio da escuridão.

Desceram o carro, e o ajudante do guincheiro ficou tomando conta, sozinho. No guincho estavam o casal e o guincheiro que costurava em alta velocidade rumo ao posto.

Chegando no posto começou a negociação com o gerente do posto, para a que fosse passado o cartão de crédito no caixa do posto e com o guincheiro que só queria saber do próprio bolso e finalmente cedeu em chamar um guincho de plataforma para buscar o carro.

Quando o casal, em berros com a mãe da namorada pelo telefone, avistou na entrada do posto a viatura do policial que os socorrera anteriormente e o carro do amigo, sentiram-se tão aliviados e salvos que puderam relaxar um pouco. A namorada saiu correndo como uma criança que vê o pai ao longe depois de um grande período.

Parece uma bola de papel amassada

Minutos depois chegam o guincho de plataforma com os restos do carro e o guincho da seguradora, juntos. O final dessa epopéia se resumiu a pagar os guincheiros, trocar o carro de plataforma e voltar para casa com mais uma história pra contar.

Um detalhe importante: Isso tudo aconteceu comigo e minha namorada neste último domingo, dia 13/04/2008.

Entramos em contato com a transportadora, dona da carreta, e descobrimos que esse mesmo motorista se envolveu em mais um acidente na entrada de São Paulo, e que era reincidente. Com certeza a grande culpada nisso tudo é a empresa que permite que um motorista como este continue trafegando pelas estradas arriscando a vida de todos os motoristas que o cercam.

Um grande MUITO OBRIGADO ao policial rodoviário Edson Garcia Guedes, sem ele nós estaríamos em um mato sem cachorro!

E um OBRIGADO MAIOR ainda ao e a Dani, que se deslocaram mais de 300km só pra buscar essa dupla que se mete em altas confusões!

E VALEU PATTY! com certeza se estivesse sozinho, teria me ferrado de verde e amarelo! Como você pediu, olha a música aí: (essa música representa muito pra ela, por isso coloquei aqui)

“Tudo que eu quiser, O cara lá de cima vai me dar, Me dar toda coragem que puder, que não me faltem FORÇAS para lutar”

Anúncios

Publicado em 18 de abril de 2008, em Pessoal e marcado como , , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. 7 Comentários.

  1. É só nós sabemos os momentos de Terror e pressão mental que passamos, mas Nem Carreta, nem Poste, nem Muro, São Pedro / Deus vão esperar um pouco mais.

    Beijos

  2. Cruzes…
    Nossa que terrível hein!!
    Mas a Ainda bem que sairam ilesos, isso que é importante!!!
    Beijokas garoto e se cuida!

  3. Só posso dizer uma coisa…. DEUS EXISTE!!!!! E graças à Ele vcs estão bem e continuam aqui c/ a gente, e por muito tempo afinal ele já deu prova disso…
    Muito obrigada papai do céu por deixar a minha Bolotinha amada do coração e o Igor amigo aqui comigo!!!!!

    Milhões de beijinhos
    Adoro vcs!!!
    Eli

  4. André de Oliveira

    Caros Amigos: Como vcs puderam perceber, Deus existe mesmo. Primeiro porque colocou vocês, duas pessoas maravilhosas, uma no caminho da outra, pois a luz que vcs irradiam individualmente é muito grande, imagine então juntos. E é por isso que Ele os protege e os mantém juntos, pois precisa de muita luz para poder iluminar todos os cantos deste universo para proteger pessoas bondozas como vcs de pessoas que andam por caminhos escuros.

    VIVA A VIDA E VIVAM A VIDA.

    Que Ele continue abençoando vcs dois.

    Bjs e Abs.

  5. Poxa cara, que aperto hein?
    A Régis é realmente um lixo. Já fui para Florianópolis duas vezes de Moto pela Régis e na última quase me quebrei inteiro (e a moto junto).

    Eu só não entendi se essa história aconteceu com você ou não. No inicio do texto você diz “Dia desses soube de um acidente nessa estrada, no km 510 sentido norte” e no final diz “Um detalhe importante: Isso tudo aconteceu comigo e minha namorada neste último domingo, dia 13/04/2008.”

    De qualquer forma, tiveram azar. Sorte teriam se tivesse passado por lá sem nenhuma história para contar, o que é, de fato, a situação ideal.

    Obrigado pela visita no MotosBlog! Até mais e boa sorte!

  6. Fala Daniel!!

    É o seguinte: aconteceu comigo mesmo e minha namorada, e posso te dizer que foi a experiência mais louca que eu já tive na minha vida.

    Outro dia eu estava imaginando se eu em vez de um Celta eu estivesse numa moto… bom, deixa pra lá…

    Abs e Volte sempre!

  7. Vcs são mega especiais… e tem que ficar conosco uns bons 100 anos ainda….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: